Betacaroteno:

O que é?
Betacaroteno é um pigmento vegetal natural, pertencente à família dos carotenoides. É responsável pela cor laranja ou amarela de muitas frutas e vegetais,
como cenouras, abóboras e mamão.
Para que serve?
O betacaroteno é uma provitamina A, o que significa que o corpo pode convertê-lo em vitamina A conforme necessário. A vitamina A auxilia principalmente na saúde da visão, no sistema imunológico e na saúde da pele. Além disso, os carotenoides, incluindo o betacaroteno, são antioxidantes, o que significa que ajudam a proteger
as células do corpo contra danos causados pelos radicais livres.
Em quais vitaminas esse ativo é encontrado?
O betacaroteno é encontrado principalmente em alimentos ricos em vitamina A, como cenouras, batatas-doces, abóboras, espinafres, couve, pimentões, mangas e damascos.

Biotina:

O que é?
A biotina é uma vitamina do complexo B, também conhecida como vitamina B7 ou vitamina H. Ela tem papel importante no metabolismo de carboidratos, gorduras e proteínas, além de ser essencial para o crescimento celular, produção de ácidos graxos e manutenção da saúde da pele, unhas e cabelos.
Para que serve?
A biotina é fundamental para várias funções do corpo humano. Ela ajuda a converter carboidratos em energia, desempenha um papel importante na regulação do metabolismo de gorduras, promove o crescimento e a manutenção de tecidos saudáveis, e é crucial para a saúde da pele, unhas e cabelos. Além disso, a
biotina atua na saúde do sistema nervoso, contribuindo para a manutenção de uma função nervosa adequada.
Em quais vitaminas esse ativo é encontrado?
A biotina pode ser encontrada em uma variedade de alimentos, incluindo ovos, peixes, carne, nozes, sementes, legumes, couve-flor e cogumelos.

Cianocobalamina

O que é?
A cianocobalamina é uma forma sintética da vitamina B12, que é uma vitamina
solúvel em água do complexo B. É uma das formas mais comuns de vitamina B12
utilizada em suplementos e medicamentos devido à sua estabilidade e longa vida útil.
Para que serve?
A cianocobalamina atua no corpo humano, sendo essencial para a formação de
glóbulos vermelhos, manutenção do sistema nervoso central, metabolismo de
proteínas e regulação do DNA. A deficiência de vitamina B12, para a qual a
cianocobalamina é um tratamento comum, pode levar a sintomas como anemia,
fadiga, fraqueza, formigamento nas mãos e nos pés, problemas de equilíbrio e até
danos neurológicos.
Em quais vitaminas esse ativo é encontrado?
A cianocobalamina não é encontrada em outras vitaminas, mas sim é uma forma sintética da vitamina B12. A vitamina B12 pode ser encontrada naturalmente em alimentos de origem animal, como carne, peixe, aves, ovos e laticínios. Além disso, a
vitamina B12 também pode ser obtida através de suplementos vitamínicos ou
injeções, muitas vezes na forma de cianocobalamina.

Cúrcuma

O que é?
A cúrcuma, também conhecida como açafrão-da-terra, é uma planta da família do
gengibre (Zingiberaceae), cujo rizoma é amplamente utilizado como especiaria e corante alimentar. A principal substância ativa da cúrcuma é a curcumina, que confere à planta suas propriedades medicinais e seu característico tom amarelo-alaranjado.
Para que serve?
Ela é frequentemente utilizada para aliviar dores articulares, melhorar a digestão, fortalecer o sistema imunológico e promover a saúde cardiovascular. Além disso, a
curcumina pode ter efeitos positivos na prevenção e no tratamento de diversas condições, como artrite, doenças inflamatórias intestinais, doenças neurodegenerativas e certos tipos de câncer.
Em quais vitaminas esse ativo é encontrado?
A cúrcuma contém uma variedade de compostos bioativos, incluindo a curcumina, que podem contribuir para a saúde geral do organismo. A cúrcuma é frequentemente utilizada como um complemento dietético para promover a saúde e o bem-estar, mas não é uma fonte primária de vitaminas específicas.

EPA (ácido eicosapentaenoico)

O que é?
O EPA, ou ácido eicosapentaenoico, é um ácido graxo ômega-3 de cadeia longa encontrado principalmente em certos tipos de peixes, como salmão, sardinha e atum. Ele é considerado essencial para a saúde humana, o que significa que o corpo não pode produzi-lo em quantidades adequadas e, portanto, deve ser obtido através da dieta ou de suplementos.
Para que serve?
O EPA é conhecido por seus efeitos anti-inflamatórios e cardioprotetores, ajudando a reduzir a inflamação e a proteger contra doenças cardiovasculares. Além disso, o EPA pode ajudar na saúde cerebral e ocular, contribuindo para a função cognitiva
adequada e para a manutenção da saúde dos olhos. Pode também ter benefícios no tratamento de distúrbios do humor, como depressão e ansiedade.
Em quais vitaminas esse ativo é encontrado?
O EPA é um ácido graxo ômega-3 encontrado em certos tipos de peixes e em óleos de peixe. Ele é frequentemente consumido como parte de uma dieta equilibrada ou em forma de suplementos de óleo de peixe, cápsulas de óleo de krill ou suplementos de óleo de algas.

DHA (ácido docosahexaenoico)

O que é?
O DHA, ou ácido docosahexaenoico, é um ácido graxo ômega-3 de cadeia longa encontrado principalmente em peixes de água fria, como salmão, sardinha e cavala.
Assim como o EPA, o DHA é considerado essencial para a saúde humana e é um
dos principais componentes dos fosfolipídios das membranas celulares do cérebro e dos olhos.
Para que serve?
O DHA é essencial para o desenvolvimento e a função do cérebro, especialmente
durante a gravidez e nos primeiros anos de vida. Além disso, o DHA é importante
para a saúde cardiovascular, contribuindo para a redução do risco de doenças
cardíacas. Ele também contribui para a saúde ocular, ajudando a manter a
estrutura e a função adequadas da retina.
Em quais vitaminas esse ativo é encontrado?
Assim como o EPA, o DHA é um ácido graxo ômega-3 encontrado principalmente
em peixes de água fria e em óleos de peixe. Ele é frequentemente consumido como
parte de uma dieta equilibrada ou em forma de suplementos de óleo de peixe,
cápsulas de óleo de krill ou suplementos de óleo de algas.

Glutamina

O que é?
A glutamina é um aminoácido não essencial, o mais abundante no corpo humano, presente em grandes quantidades nos músculos esqueléticos. Ela atua em diversas funções corporais, incluindo a síntese proteica, o transporte de nitrogênio entre tecidos, o equilíbrio ácido-base e o fornecimento de energia para células intestinais.
Para que serve?
A glutamina tem várias funções no organismo, sendo essencial para a saúde do sistema imunológico, a integridade do trato gastrointestinal e a recuperação muscular após exercícios intensos. Ela pode ajudar a reduzir o tempo de
recuperação após cirurgias, lesões ou períodos de estresse intenso. Além disso, a glutamina contribui para a manutenção da função cerebral, auxiliando na produção de neurotransmissores.
Em quais alimentos esse ativo é encontrado?
A glutamina é encontrada em muitos alimentos ricos em proteínas, como carne, peixe, ovos, laticínios, legumes e nozes. No entanto, em certas situações de demanda aumentada, como durante o exercício intenso ou períodos de estresse, a ingestão dietética pode não ser suficiente para atender às necessidades do corpo,
sendo necessário considerar a suplementação de glutamina.

Glucosamina:

O que é?
A glucosamina é uma substância natural encontrada no corpo humano, principalmente nas cartilagens das articulações. Ela é um amino açúcar produzido a partir da glicose e da glutamina. A glucosamina é frequentemente utilizada em suplementos alimentares para promover a saúde das articulações e o alívio de
sintomas associados à osteoartrite.
Para que serve?
A glucosamina é conhecida por seu papel na saúde das articulações. Ela atua na formação e reparo da cartilagem articular, ajudando a manter as articulações flexíveis e funcionando adequadamente. Muitas pessoas utilizam suplementos de glucosamina para aliviar os sintomas da osteoartrite, como dor, rigidez e redução da mobilidade articular. Embora sua eficácia possa variar de pessoa para pessoa, alguns a suplementação de glucosamina pode ajudar a reduzir a progressão da osteoartrite em algumas pessoas.
Em quais alimentos esse ativo é encontrado?
A glucosamina não é encontrada em grandes quantidades nos alimentos. Ela é produzida naturalmente pelo corpo a partir de outras substâncias, como a glicose e a glutamina. No entanto, algumas fontes alimentares, como cascas de camarão, lagosta e caranguejo, contêm pequenas quantidades de glucosamina. A maior parte da glucosamina consumida é obtida através de suplementos alimentares.

O que são vitaminas

São compostos orgânicos essenciais para o funcionamento
normal do metabolismo do corpo humano. Elas são necessárias em pequenas
quantidades e não podem ser sintetizadas pelo organismo em quantidades
suficientes, o que significa que devem ser obtidas através da alimentação ou
suplementação. Existem 13 vitaminas essenciais, divididas em duas categorias
principais: Vitaminas lipossolúveis e Vitaminas hidrossolúveis.

Vitaminas Lipossolúveis

Essas vitaminas são solúveis em gorduras e são armazenadas nos tecidos adiposos e no fígado.

Vitaminas Hidrossolúveis

Essas vitaminas são solúveis em água e não são armazenadas no corpo em grandes quantidades; o excesso é excretado na urina.

Vitaminas Lipossolúveis

Vitamina A

A vitamina A é um nutriente essencial que desempenha várias funções vitais no corpo humano. Ela é uma vitamina lipossolúvel, ou seja, é armazenada no fígado e é dissolvida em gorduras. Existem duas formas principais de vitamina A: a pré-formada e os carotenoides pró-vitamina A.

Vitamina D

A vitamina D é crucial para a saúde óssea, muscular e do sistema imunológico, facilitando a absorção de cálcio e fósforo no corpo. A principal fonte de vitamina D é a síntese cutânea através da exposição ao sol, mas também pode ser encontrada em peixes gordurosos, óleo de fígado de peixe, fígado de boi, gema de ovo e alimentos fortificados, como laticínios e cereais. A deficiência de vitamina D pode levar a problemas de saúde como raquitismo em crianças, osteomalácia em adultos e osteoporose a longo prazo.

As necessidades diárias de vitamina D variam por idade, com bebês precisando de 400-600 IU, crianças e adolescentes de 600-1000 IU, adultos de 600-800 IU, e idosos de 800-1000 IU. Suplementos podem ser necessários para pessoas com pouca exposição ao sol ou dificuldades na absorção de nutrientes. Consultar um profissional de saúde é fundamental para garantir níveis adequados e evitar complicações associadas à deficiência de vitamina D.

Vitamina E

A vitamina E é um antioxidante essencial que ajuda a proteger as células do dano causado pelos radicais livres, desempenhando um papel importante na saúde imunológica, na função celular e na prevenção de doenças crônicas. Esta vitamina lipossolúvel é encontrada em várias fontes alimentares, incluindo óleos vegetais (como óleo de girassol, cártamo e oliva), nozes e sementes (como amêndoas, avelãs e sementes de girassol), além de vegetais de folhas verdes (como espinafre e brócolis) e frutas como o abacate.

A deficiência de vitamina E é rara, mas pode ocorrer em pessoas com problemas de absorção de gordura e pode levar a danos neurológicos e fraqueza muscular. As necessidades diárias de vitamina E variam com a idade e o sexo, sendo recomendada uma ingestão diária de cerca de 15 mg para adultos. Embora a suplementação possa ser necessária em alguns casos, é importante fazê-lo sob orientação médica, pois o excesso de vitamina E pode interferir na coagulação sanguínea e aumentar o risco de sangramentos.

Vitamina K

A vitamina K é vital para a coagulação sanguínea adequada e a saúde óssea. Ela ajuda na produção de proteínas necessárias para a coagulação do sangue e na regulação do metabolismo ósseo. Existem duas formas principais de vitamina K: K1 (filoquinona), encontrada principalmente em vegetais de folhas verdes, como couve, espinafre e brócolis, e K2 (menaquinona), encontrada em alimentos fermentados e produtos de origem animal, como queijo, carne e ovos.

A deficiência de vitamina K pode levar a problemas de coagulação, resultando em sangramentos excessivos e hematomas fáceis. Embora seja rara, pode ocorrer em pessoas com condições que afetam a absorção de nutrientes ou em uso prolongado de antibióticos. As necessidades diárias de vitamina K variam com a idade e o sexo, com uma recomendação de cerca de 90 mcg para mulheres adultas e 120 mcg para homens adultos. Em geral, uma dieta equilibrada é suficiente para manter níveis adequados de vitamina K, mas em casos de deficiência, a suplementação pode ser necessária sob supervisão médica.

Vitaminas Hidrossoúveis

Vitamina B1

A vitamina B1, ou tiamina, é essencial para o metabolismo energético e o funcionamento do sistema nervoso. Ela ajuda a converter carboidratos em energia e é crucial para a transmissão de sinais nervosos e a função muscular. Fontes ricas de tiamina incluem cereais integrais, carne de porco, peixes, leguminosas, nozes, sementes e vegetais como espinafre e couve, além de produtos fortificados.

A deficiência de tiamina pode causar beribéri, que afeta o sistema nervoso e cardiovascular, e a síndrome de Wernicke-Korsakoff, uma condição neurológica associada ao alcoolismo. As necessidades diárias variam, com homens adultos precisando de cerca de 1,2 mg por dia e mulheres adultas de 1,1 mg por dia. Uma dieta equilibrada geralmente fornece tiamina suficiente, mas em alguns casos, a suplementação pode ser necessária sob orientação médica.

Vitamina B2

A vitamina B2, ou riboflavina, é uma vitamina hidrossolúvel importante para o metabolismo energético, ajudando na conversão de carboidratos, gorduras e proteínas em energia. Além disso, a riboflavina é crucial para a saúde da pele, olhos e sistema nervoso, e atua como antioxidante, protegendo as células contra danos dos radicais livres.

Fontes ricas de riboflavina incluem produtos lácteos (como leite e iogurte), ovos, carnes magras, fígado, vegetais de folhas verdes (como espinafre e brócolis), nozes e grãos fortificados. A deficiência de riboflavina pode levar a sintomas como inflamação da garganta, rachaduras nos cantos da boca, lábios vermelhos e doloridos, e problemas de pele. As necessidades diárias variam, sendo cerca de 1,3 mg por dia para homens adultos e 1,1 mg por dia para mulheres adultas. Uma dieta equilibrada geralmente fornece riboflavina suficiente, mas em alguns casos específicos, a suplementação pode ser necessária sob orientação médica.

Vitamina B5

A vitamina B5, ou ácido pantotênico, é uma vitamina hidrossolúvel essencial para a síntese de coenzima A, que é vital no metabolismo de carboidratos, proteínas e gorduras. Esta vitamina desempenha um papel crucial na produção de energia e na síntese de hormônios, colesterol e neurotransmissores, sendo também importante para a saúde da pele e dos cabelos.

Fontes ricas de ácido pantotênico incluem carnes, aves, peixes, ovos, laticínios, vegetais (como brócolis e batatas), grãos integrais e leguminosas, além de alimentos como abacate e cogumelos. A deficiência de vitamina B5 é rara devido à sua ampla distribuição nos alimentos, mas quando ocorre, pode causar sintomas como fadiga, irritabilidade, dormência e cãibras musculares. As necessidades diárias de ácido pantotênico são de cerca de 5 mg para adultos. Geralmente, uma dieta balanceada é suficiente para atender a essa necessidade, mas suplementos podem ser recomendados em casos específicos sob orientação médica.

Vitamina B6

A vitamina B6, também conhecida como piridoxina, é essencial para o metabolismo de proteínas, a produção de neurotransmissores e a saúde do sistema nervoso. Encontrada em alimentos como carnes magras, bananas, grãos integrais e vegetais de folhas verdes, sua deficiência é rara, mas pode causar anemia, irritabilidade e problemas de pele. As necessidades diárias variam, com cerca de 1,3 mg por dia para adultos. Embora suplementos possam ser recomendados em casos específicos, é importante evitar doses excessivas, pois podem causar efeitos colaterais.

Vitamina B12

A vitamina B12, também conhecida como cobalamina, é uma vitamina hidrossolúvel essencial para a formação de glóbulos vermelhos, a síntese de DNA e o funcionamento adequado do sistema nervoso. É crucial para a saúde do cérebro e do sistema nervoso. Fontes alimentares ricas em vitamina B12 incluem carnes, peixes, ovos e produtos lácteos. A deficiência de vitamina B12 pode levar a anemia perniciosa, fadiga, fraqueza muscular e problemas neurológicos. As necessidades diárias variam, com cerca de 2,4 mcg por dia para adultos. Suplementos de vitamina B12 podem ser necessários para veganos, idosos e pessoas com condições médicas que afetam a absorção de nutrientes.

Vitamina C

A vitamina C, também conhecida como ácido ascórbico, é uma vitamina hidrossolúvel essencial para o funcionamento do sistema imunológico, a saúde da pele e a cicatrização de feridas. Além disso, atua como antioxidante, ajudando a proteger as células contra danos dos radicais livres. Uma das funções mais conhecidas da vitamina C é sua capacidade de aumentar a absorção de ferro não-heme, presente em fontes vegetais, o que é crucial para prevenir a anemia. Fontes ricas de vitamina C incluem frutas cítricas, como laranjas e limões, morangos, pimentões, brócolis e tomates.

A deficiência de vitamina C pode levar ao escorbuto, uma doença caracterizada por sintomas como fadiga, fraqueza muscular, sangramento nas gengivas e cicatrização lenta de feridas. As necessidades diárias de vitamina C variam com a idade e o sexo, mas uma ingestão adequada geralmente pode ser alcançada através de uma dieta equilibrada. Em alguns casos, suplementos de vitamina C podem ser recomendados, especialmente para pessoas com deficiências nutricionais ou condições médicas que afetam a absorção de nutrientes.