Vitaminas do complexo B x função cerebral: entenda a importância para a cognição

O cérebro é considerado o órgão mais metabolicamente ativo do corpo, representando mais de 20% do gasto energético corporal. Diante disso, o aporte adequado de vitaminas do complexo B é essencial, tendo em vista que elas atuam diretamente em vias associadas à síntese neuroquímica. Os mecanismos específicos de captação celular das vitaminas determinam sua distribuição. As vitaminas B apresentam altas modificações, variando de 8% a 100% por dia em relação aos seus níveis no cérebro.

Um processo chamado de regulador homeostático cerebral é responsável por garantir que as concentrações vitamínicas permaneçam comparativamente altas. A exemplo disso, pode-se destacar que a concentração de metiltetra-hidrofolato, a principal forma circulante de folato no cérebro, é quatro vezes maior do que no plasma, enquanto que a biotina e o ácido pantotênico encontram-se no cérebro em concentrações até 50 vezes mais elevadas.

O papel das vitaminas do complexo B na homeostase cerebral! 

A tiamina, conhecida como vitamina B1, é uma coenzima atuante na via energética da pentose fosfato, que é uma etapa necessária na síntese de ácidos graxos, ácidos nucleicos e neurotransmissores essenciais para a função cerebral. Essa vitamina desempenha um papel neuromodulador no sistema da produção do neurotransmissor acetilcolina. 

A segunda vitamina do complexo, chamada de riboflavina, atua na formação de fatores cruciais para processos enzimáticos celulares, como cofatores no metabolismo dos ácidos graxos essenciais para formação de lipídeos da membrana cerebral.

O papel da vitamina B6 ou piridoxina, por sua vez, relaciona-se ao ciclo do folato e metabolismo de aminoácidos responsáveis pela síntese de neurotransmissores, como a dopamina, serotonina, γ-amino-butírico ácido (GABA), noradrenalina e do hormônio melatonina. Sua combinação com o folato (vitamina B9) e a vitamina B12 é essencial para o funcionamento completo do ciclo do folato, necessário para a síntese e regeneração do cofator chamado tetra-hidrobiopterina, fundamental para as enzimas que convertem aminoácidos em neurotransmissores. 

Todas as vitaminas possuem sua relevância para a função cerebral e, quando ocorre qualquer tipo de deficiência, é possível observar sintomas neurológicos e psiquiátricos. Os sintomas primários da carência de vitamina B6, por exemplo, incluem depressão, declínio cognitivo e graus de demência.

FDC Complexo B reúne 7 tipos de vitaminas do complexo B, que atuam em diferentes funções corporais, especialmente no metabolismo de energia, na melhora da qualidade do sono e no aumento da disposição e do foco por modular a cognição e produção de neurotransmissores.  CLIQUE AQUI e confira mais informações sobre os produtos.

REFERÊNCIAS 

KENNEDY, D.O. B Vitamins and the Brain: Mechanisms, Dose and Efficacy—A Review. Nutrients, v. 8, n. 68, p. 1-29, 2016.

REMBE, J. et al. Effects of Vitamin B Complex and Vitamin C on Human Skin Cells: Is the Perceived Effect Measurable? Adv Skin Wound Care, v. 31, n. 5, p. 225-23, may 2018.

FORD, T. C. et al. The Effect of a High-Dose Vitamin B Multivitamin Supplement on the Relationship between Brain Metabolism and Blood Biomarkers of Oxidative Stress: A Randomized Control Trial. Nutrients, v. 10, n. 12 p. 1-13.  Dec. 2018.