O papel dos multivitamínicos na prevenção de doenças em idosos

Estudos apontam que cada vez mais indivíduos têm recorrido ao uso de suplementos multivitamínicos para promover a saúde, aumentar o bem-estar e prevenir doenças.

Embora o consumo de uma dieta equilibrada e variada forneça a variedade de nutrientes que nosso corpo necessita, a deficiência de vitaminas e minerais pode-se instalar mesmo assim no organismo. Especificamente em idosos, a deficiência de vitaminas parece impactar significativamente nas funções neurológicas, diminuindo sua qualidade de vida e independência. Micronutrientes relacionados a esses sintomas incluem as vitaminas B6, B9 e B12, além do zinco.

 

Quando consumidos respeitando a Ingestão Diária Recomendada (IDR), os suplementos multivitamínicos não resultam em ingestão excessiva; além disso, a longo prazo, são tidos como seguros para a saúde e podem contribuir para melhorar o aporte de micronutrientes, minimizando as carências nutricionais. Os multivitamínicos, geralmente, contam com uma gama completa de vitaminas do complexo B, importantes para a prevenção de desordens neurológicas e psiquiátricas em idosos, além de outros micronutrientes de caráter antioxidante e que contribuem para a síntese de neurotransmissores. No entanto Walrand (2018) destaca, em seu estudo de revisão, a necessidade de não generalizar os efeitos positivos dos suplementos, visto que muitos produtos ainda deixam a desejar quanto à sua eficácia e segurança. 

O consumo de multivitamínicos por idosos tem por objetivo principal a prevenção no desenvolvimento de doenças crônicas. Por exemplo, estudos clínicos têm mostrado uma redução em óbitos por doenças cardiovasculares em idosos que consumiam suplementos à base de ômega-3; além disso, quando combinada ao exercício físico, a suplementação proteica diária contribuiu para evitar a perda de massa muscular e da força da perna também em idosos. Harris et al. (2011), em estudo randomizado, duplo-cego e placebo-controle, avaliaram os efeitos da suplementação multivitamínica, herbal e mineral sobre o humor e o estresse em indivíduos entre 50 e 69 anos. Após oito semanas de suplementação, o estudo mostrou que os indivíduos suplementados apresentaram score reduzido para a escala padronizada de estresse, depressão e ansiedade, além de melhora no estado de atenção em comparação ao grupo controle.

Em vista dos benefícios da alimentação adequada no que tange à saúde e qualidade de vida dos idosos, os multivitamínicos, quando prescritos pelo nutricionista de acordo com a necessidade e em conjunto com uma alimentação balanceada, podem contribuir para minimizar possíveis carências de micronutrientes.


Referências

BIESALSKI, H.K.; TINZ, J. Multivitamin/mineral supplements: rationale and safety. Nutrition, v. 36, p. 60-6, abr. 2017.

FORD, T. et al. The effect of a high-dose vitamin B multivitamin supplement on the relationship between brain metabolism and blood biomarkers of oxidative stress: a randomized control trial. Nutrients, v. 10, n. 12, 2018.

HARRIS, E. et al. The effect of multivitamin supplementation on mood and stress in healthy older men. Human Psychopharmacology: clinical and experimental, v. 26, n. 8, p. 560-7, dez. 2011.

TAL, S. et al. Moderate ‘multivitamin’ supplementation improved folate and vitamin B12 status in the elderly. Experimental Gerontology, v. 84, p. 101-6, nov. 2016. 

WALRAND, S. Dietary supplement intake among the elderly: hazards and benefits. Current Opinion in Clinical Nutrition & Metabolic Care, v. 21, n. 6, p. 465-70, nov. 2018.