Magnésio – modulação da insulina e sua influência no diabetes mellitus.

Cofator enzimático em mais de 300 reações bioquímicas, o magnésio é o quarto mineral mais abundante no organismo e possui papel essencial na contração muscular e na síntese de neurotransmissores, bem como no metabolismo energético e de insulina.

Em torno de 45% do magnésio ingerido é absorvido no intestino delgado e cólon, sendo o restante (55%) excretado pelas fezes. Fatores como fosfato, fibras, fitatos, álcool e o excesso de gordura podem prejudicar a absorção de magnésio. Por outro lado, a presença de carboidratos e de vitamina D, por exemplo, estimulam a incorporação deste pelo organismo. Além do processo natural de envelhecimento, a hipomagnesemia pode ser causada por aporte nutricional deficiente, como nos casos de alcoolismo, subnutrição e restrição dietética prolongada; má absorção; aumento da excreção, sobretudo, em patologias que envolvam o trato gastrointestinal; e nas disfunções tubulares, como no caso do diabetes descompensado. 

A descompensação das taxas de açúcar no sangue, tanto em pacientes diabéticos, quanto naqueles resistentes à insulina, favorece a liberação do magnésio via urina; a literatura aponta para estudos que indicam haver uma relação inversamente proporcional entre a concentração sérica de magnésio e a incidência de diabetes tipo 2. Além disso, é sabido que a hipomagnesemia pode contribuir para a patofisiologia dessa doença e, também, da síndrome metabólica. De acordo com Gröber et al. (2015), o diabetes tipo 1 e tipo 2 são as causas mais comuns de deficiência de magnésio, podendo variar entre 13,5% a 47,7% para pacientes com o segundo tipo. Ainda, trabalhos científicos mais conclusivos sugerem que a suplementação com magnésio pode contribuir, especificamente, para a saúde de indivíduos de meia idade e alto risco de desenvolvimento da doença. Entre os impactos positivos, enfatiza-se a diminuição significativa do risco de progressão do pré-diabetes para a própria doença em si.

Portanto, a suplementação de magnésio prescrita de forma individualizada e por profissional especializado parece encontrar respaldo científico para melhorar a qualidade de vida e reduzir o risco da doença. FDC Magnésio é o suplemento à base de óxido de magnésio e que contribui para o funcionamento muscular, além de auxiliar na saúde de pacientes com diabetes ou resistência à insulina. CLIQUE AQUI e confira mais informações sobre o produto  

Referências

GRÖBER, U. et al. Magnesium in prevention and therapy. Nutrients, v. 7, n. 9, p. 8199-226, set. 2015.

ILSI BRASIL - International Life Sciences Institute do Brasil. Magnésio. In: Funções Plenamente Reconhecidas de Nutrientes, Série de Publicações ILSI Brasil – São Paulo, 2010. 

PALMER, B.F.; CLEGG, D.J. Electrolyte and acid-base disturbances in patients with diabetes mellitus. N Engl J Med., v. 373, n. 6, p. 548-59, ago. 2015.

ZGHOUL, N. et al. Hypomagnesemia in diabetes patients: comparison of serum and intracellular measurement of responses to magnesium supplementation and its role in inflammation. Diabetes, metabolic syndrome and obesity: targets and therapy, v. 11, 2018.