Conheça Alexandre Amparo, atleta do time FDC e campeão nacional e internacional de Jiu-Jitsu

O Jiu-Jitsu é uma modalidade de luta de solo, cujo objetivo é a finalização do adversário a partir de golpes, mas, o foco é sempre a auto-defesa. Criado no Japão, o Jiu-Jitsu também conta com influencias indianas e surgiu a partir da necessidade de preparar os samurais para se defenderem, mesmo sem armas. As modalidades que envolvem luta, geralmente demandam um treinamento físico intenso, com alta duração e preparo significativo para competições.

Esses fatores aumentam a necessidade de uma boa nutrição, uma vez que o aporte nutricional é responsável pela manutenção da saúde e a otimização da performance do lutador. Nas competições de Jiu-Jitsu há divisões por categoria de peso, então, é necessário avaliar o gasto energético brasal (GEB) e o gasto energético total (GET), a fim de estipular as calorias necessárias para evitar descompensações. Além disso, é importante monitorar o risco de desidratação, que pode causar danos fisiológicos e reduzir o rendimento do atleta (Villarroel; et al., 2018).

Por esse motivo, a nutrição é capaz de condicionar o desempenho do atleta, o que significa que um acompanhamento nutricional, com a elaboração de um planejamento alimentar adequado é necessário. Para esse acompanhamento, é necessário considerar diversos fatores, dentre os quais, a adequação energética da dieta, a distribuição dos macronutrientes e o fornecimento das quantidades adequadas de vitaminas e minerais (Romcy; et al., 2018), o que faz com que a suplementação desses nutrientes seja necessária.

Agora que você já sabe um pouco sobre o Jiu-Jitsu e, reconhecendo a importância das mais diversas modalidades esportivas para o bem-estar físico, mental e para a cidadania, a FDC apoia o esporte por meio dos atletas do Time FDC e neste blog gostaríamos de apresentar Alexandre Amparo, atleta e campeão nacional e internacional nessa modalidade. Veja a entrevista e conheça a história do atleta!



Quais são as próximas competições ou eventos em que participará?

Em janeiro de 2020 começa o calendário de competições com o Campeonato Europeu, em Lisboa, estou estudando a possibilidade de participar. No primeiro semestre do ano acontecem muitos eventos, as datas ainda não estão fixas, mas temos o campeonato brasileiro, o Pan-Americano, que acontece nos Estados Unidos, e o campeonato mundial, em Dubai.

Devido aos altos custos dessas viagens, há dois anos opto por dividir minhas temporadas, fico 60 dias na Europa, participando dos eventos por lá, ao invés de ir para o Pan-Americano e para o mundial, em Dubai.

O que o esporte significa para você?

Na verdade o esporte é e sempre foi minha vida, minha maior motivação, pois através dele consegui as maiores conquistas da minha vida, e não foram as medalhas ou títulos, pois esses, uma hora são esquecidos ou enferrujam na parede, minhas verdadeiras conquistas foram, sim, conseguir, através do esporte, mudar a vida de muitas pessoas, dar esperanca a elas, ensinar ou simplesmente mostrar que é possível conquistar nossos sonhos através do esporte.

Como você começou a praticar esportes? Iniciou na mesma modalidade em que atua hoje?

Comecei a praticar esportes desde os 4 anos, quando morava no Rio de Janeiro e era atleta de natação. Fiquei até os 12 anos no Clube Guanabara e, logo em seguida fui federado e convidado a compor a equipe do Clube de Regatas do Flamengo. Permanci lá por dois anos e, por uma questão familiar, tive que me mudar de estado e, então, muitas coisas mudaram. Não desisti e comecei a surfar aos 16 anos, descobrindo no surfe uma grande paixão em minha vida e, logo depois veio o que hoje é minha maior paixão, motivação e inspiração nos esportes, o Jiu-jitsu.

Como você descobriu que gostaria de seguir uma carreira nos esportes?

Desde criança sempre fui incentivado a isso, não bebo, não fumo e sempre busquei superar meus próprios limites, todos os dias. Sempre tive o hábito de criar barreiras só para poder superá-las, então o esporte é perfeito para isso.

Você acha que o esporte recebe o devido valor no Brasil?

NUNCA! E está muito distante disso ainda, pois além de não receber o devido valor, há uma discrepância gigantesca entre a valorização das modalidades. 

O que acha da iniciativa da FDC em apoiar atletas e a carreira no esporte?

Um grande exemplo de empresa, administrada por pessoas que também amam o esporte e, assim, conseguem, de alguma forma, devolver a ele tudo que o esporte trouxe de bom para a vida delas. Nós, atletas, agradecemos pelo apoio, pois hoje, mesmo com a “lei” do incentivo ao esporte, no nosso país é muito difícil ter um apoio ou suporte.

Qual é sua rotina de treinos, alimentação e cuidados com a saúde?

Treinos diários e também periodizados, de acordo com a época e a relevância das competições. Assim, também consigo adequar minha alimentação e os cuidados com a minha saúde. 

Essa rotina passa por mudanças antes de competições? Quais? Quanto tempo antes de competir você começa a se preparar?

Na verdade me preparo todos os dias, administro minha vida como atleta sempre mantendo uma constância. Hoje os treinos, a alimentação e os cuidados com a saúde são um hábito, então, quando temos uma competição de alto grau de importância, faço uma periodização de 60 a 90 dias antes, quando acabo dedicando mais de atenção e esforços. 

Você tem um acompanhamento nutricional focado na prática esportiva?

Atualmente não, apenas as orientações que recebo do meu preparador físico.

Quais suplementos da FDC você utiliza?

Cafeína, Vitamina B12, Vita C, Ômega-3 e All Nutri Plus.

Quais os benefícios da suplementação na sua vida?

Todos! Um atleta deve integrar a suplementação à uma adequada rotina de treinos e de alimentação. Uma coisa deve estar ligada à outra, pois todas elas se complementam. Eu acho essencial suplementar, pois sinto meu organismo muito mais forte e saudável.

Como você concilia o esporte com a sua vida, família, amigos?

Moro em uma região litorânea, então a sazonalidade e o aumento de trabalho na temporada atrapalham bastante, mas como ainda não consigo viver apenas do esporte, então o trabalho é, hoje, minha principal fonte de renda e o que permite manter meu sonho e minha chama de atleta viva. Abro mão de MUITAS coisas por causa do esporte, não só pela competição em si, mas pela vida de atleta de maneira geral. 

Qual é seu maior objetivo no esporte daqui para frente?

Minha busca diária no esporte é conseguir fazer a diferença na vida de alguém, seja levando para os treinos, doando algo, conversando ou orientado. Enfim, quero devolver para esporte, de algum modo, TUDO que o esporte fez por mim.

E quais são seus maiores desafios no dia a dia?

Acho que conseguir me superar todos os dias, treinando, conciliando a vida pessoal e financeira, ou simplesmente ver que a cada dia que passou, eu consegui chegar mais perto dos meus sonhos.

Qual dica você daria para quem deseja seguir na carreira esportiva ou para atletas amadores que desejam se profissionalizar?

Para um sonho se realizar, basta que apenas uma pessoa acredite, você mesmo! Então a primeira lição que devemos aprender para iniciar qualquer coisa na vida é a não desistir, pois as barreiras e os obstáculos existem e foram criados para nos tornar mais fortes. Ter foco, determinação e desejar MUITO tudo aquilo que você sonha e que, com certeza, um dia irá realizar.

E, por fim, uma das regras básicas e fundamentais, não importa se você é pobre ou se ficará milionário como esportista, se deu certo ou errado, se e amador ou profissional, é importante ter três coisas em mente: gratidão – nunca somos campeões sozinhos; sabedoria – aprender a diferenciar sua razão da sua emoção; e a mais importante de TODAS, ter HUMILDADE!

Forte abraço família FDC! Tamo junto sempre e muito obrigado por acreditarem, junto comigo, nos meus sonhos. Juntos chegaremos lá!!! 

Referências

ROMCY, D. M. L.; et al. Perfil da ingestão de macronutrientes em atletas de jiu-jitsu: estudo comparative entre o período pré-competitivo e o período normal de treino. Revista Brasileira de Prescrição e Fisiologia do Exercício, São Paulo. v.12. n.79. Suplementar 2. p.1023-1028. Jul./Dez. 2018.

VILLARROEL, J. A.; et al. Avaliação antropométrca e dietética em praticantes de jiu-jitsu de uma academia de São Bernardo do Campo-SP. Revista Brasileira de Nutrição Esportiva, São Paulo. v. 12. n. 70. p.135-142. Mar./Abril. 2018.