Rotina de cuidados para fortalecer as articulações

A mobilidade que nossas articulações proporcionam é importante para a agilidade e a liberdade de movimento. 

Quando essas estruturas se desgastam ou enfraquecem, cada movimento se transforma em um desafio doloroso.

Portanto, zelar por essas articulações se torna uma prioridade para evitar dores e complicações sérias no futuro.

Para manter a vitalidade dessas importantes estruturas, é essencial adotar alguns cuidados simples, porém de grande impacto.

Quer entender mais sobre o assunto? Continue acompanhando nosso conteúdo! 

Qual é a importância de cuidar da saúde das articulações?

As articulações são verdadeiras conexões entre os ossos, possibilitando a mobilidade e estabilidade essenciais para os movimentos complexos do nosso dia a dia.

Essas áreas, revestidas por cartilagem, têm papel importante na absorção de impactos, facilitando o deslizamento suave dos ossos e desempenhando um papel vital em nosso crescimento e estrutura óssea.

Contudo, como qualquer parte do corpo, as articulações podem sofrer sobrecarga ou lesões ao longo do tempo. Isso pode ocorrer por uma série de razões: excesso de peso, falta de cuidados antes de atividades físicas, demandas intensas das tarefas diárias e outros fatores.

Desatenção a esses sinais pode resultar em lesões que desencadeiam inflamações crônicas, como a temida osteoartrite. Inicialmente, ela se manifesta como dor ao movimentar-se, mas se negligenciada, pode levar à deterioração completa da articulação.

Cuidados preventivos e atenção aos sinais são cruciais para preservar a saúde e funcionalidade dessas importantes conexões do corpo humano.

Causas e sintomas de problemas articulares

Causas e sintomas de problemas articulares

As dores articulares, conhecidas como "dores nas juntas", são um dos incômodos crônicos mais comuns, e suas origens podem ser diversas.

O desconforto e a dor nas articulações podem impactar significativamente a rotina diária, prejudicando desde atividades simples, como caminhar e levantar objetos, até aquelas que demandam mais esforço, como correr, pular e exercícios físicos intensos. 

Essas estruturas complexas, presentes em todo o corpo, estão constantemente em movimento, o que as torna suscetíveis a problemas.

Estudos do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em parceria com a Sociedade Brasileira para o Estudo da Dor, revelam que 42% dos brasileiros enfrentam algum tipo de dor, sendo que 37% lidam com desconforto crônico.

Os problemas articulares não fazem distinção de idade, afetando cartilagens, ossos e ligamentos. Inflamações e traumas costumam ser as causas mais comuns dessas dores.

Embora as questões articulares possam surgir em qualquer idade, é comum associá-las ao envelhecimento. Contudo, não podemos simplificar a dor como um sintoma inevitável da idade. 

As inflamações crônicas levam tempo para causar danos visíveis nos órgãos e, por conseguinte, para gerar sintomas. Isso contribui para a percepção de que esses problemas são exclusivos dos mais velhos.

A verdade é que essas inflamações começam a se desenvolver muito antes dos sintomas aparecerem, moldadas por nossos hábitos. 

Portanto, não devemos encarar as dores articulares como um resultado natural do envelhecimento, mas sim como uma consequência de nossas próprias ações ao longo do tempo.

Doenças que causam dores nas articulações

As dores articulares podem surgir em diversas regiões do corpo, seja em articulações de grande porte como joelhos e quadris, ou em pequenas articulações como mãos e dedos dos pés.

Esses desconfortos podem ter uma variedade de causas, e aqui estão algumas das principais doenças que desencadeiam dores articulares:

Artrite

A artrite surge quando o sistema imunológico começa a atacar os tecidos ao redor das articulações. Essa condição inflamatória afeta a membrana sinovial que envolve a articulação.

Os tipos mais comuns de artrite são a reumatoide e a osteoartrite, esta última também conhecida como artrose. Os sintomas incluem dor, inchaço e rigidez, resultando em danos irreversíveis ao corpo.

Tratar a artrite é fundamental, já que a dor intensa pode acarretar outros problemas de saúde, como distúrbios do sono, fadiga, depressão e ansiedade, além das limitações nos movimentos.

Osteoartrite (Artrose)

Embora não seja considerada uma doença, a artrose representa o desgaste da cartilagem que reveste nossas articulações.

Existem dois tipos de osteoartrite. A primária se desenvolve após o uso excessivo de uma articulação específica. Em alguns casos, podem surgir calcificações, conhecidas como osteófitos ou "bicos de papagaio" na coluna.

Prevenir a osteoartrite envolve um equilíbrio entre atividade física e períodos de descanso, juntamente com a correção da postura e movimentos.

Gota

A gota é resultado do acúmulo de ácido úrico nas articulações, gerando dor e inflamação. 

O excesso desse ácido forma cristais que se depositam nos tecidos e articulações, especialmente nos pés, dedos dos pés, tornozelos e joelhos. É conhecida como a "doença dos reis".

Um tratamento adequado é crucial para evitar deformidades articulares e possíveis casos de invalidez. 

O acúmulo de ácido úrico está fortemente relacionado à alimentação e ao consumo frequente de bebidas alcoólicas, tornando a reeducação alimentar essencial.

Epicondilite

Essa condição é a inflamação dos músculos extensores do pulso, geralmente decorrente de esforço repetitivo. Os primeiros sinais incluem dor no cotovelo, que pode se espalhar para o antebraço. Tarefas simples como abrir uma porta, pentear o cabelo ou escrever podem intensificar essa dor. Em casos mais graves, pode haver redução de força no braço ou pulso.

Evitar movimentos repetitivos e buscar a fisioterapia são recomendações para aliviar a dor. Em situações mais complexas, a cirurgia pode ser considerada.

Bursite

Quando há inflamação no tecido dentro da articulação do ombro, chamado bursa sinovial, desenvolve-se a bursite. Isso pode causar fraqueza em todo o braço afetado, formigamento e dificuldade em elevar o braço.

A fisioterapia desempenha um papel crucial para preservar a mobilidade da articulação.

Fibromialgia

A fibromialgia é uma condição crônica que gera dores generalizadas nas articulações, sensibilidade nos músculos e tendões. Os pacientes experimentam dores corporais constantes e uma sensação de fadiga persistente.

Além das dores musculares generalizadas, os pacientes com fibromialgia frequentemente enfrentam fadiga, dores de cabeça, sono excessivo e distúrbios de humor, incluindo depressão e ansiedade.

Tendinite

Movimentos repetitivos podem causar inflamação e dor nos tendões das mãos e pulsos. 

A tendinite é a inflamação de um tendão, a estrutura que conecta o músculo ao osso, podendo afetar várias partes do corpo, sendo comum no joelho, cotovelo, tornozelo, punho e ombro.

A inflamação do tendão está associada à falta de alongamento muscular antes ou depois do exercício, movimentos repetitivos, estresse, má postura, doenças autoimunes e idade avançada.

Lesões (Torções, Luxações)

Traumas antigos podem causar dores articulares, levando a limitações de movimento ao longo do tempo. 

Quando não tratadas adequadamente logo após a lesão, essas complicações tornam-se mais frequentes e podem até mesmo incapacitar a realização de certas atividades.

Como cuidar melhor das articulações?

Manter hábitos saudáveis pode ser fundamental para evitar dores nas articulações. Aqui estão algumas formas de cuidar melhor delas:

Mantenha-se em movimento

Exercitar-se regularmente é crucial para fortalecer os músculos ao redor das articulações e mantê-las saudáveis. 

Escolha atividades de baixo impacto, como natação, caminhada, ciclismo ou ioga, que oferecem benefícios sem sobrecarregar excessivamente essas estruturas. É sempre bom buscar orientação profissional para direcionar os exercícios de acordo com suas necessidades individuais.

Cuide da sua alimentação

Uma dieta equilibrada, rica em nutrientes e com controle adequado de calorias, aliada a exercícios regulares, desempenha um papel fundamental na preservação da saúde das articulações. Consultar um nutricionista ou um especialista em nutrição pode ajudar a encontrar práticas alimentares ideais para você.

Atenção à postura

Manter uma postura correta ao sentar, em pé ou durante as atividades diárias é crucial. Uma postura inadequada pode sobrecarregar as articulações, resultando em dores e desconfortos. Certifique-se de ter uma boa ergonomia no trabalho, em casa e em outras atividades para reduzir o estresse sobre as articulações.

Faça pausas e alongamentos

Se passar muito tempo em uma posição estática ou realizar movimentos repetitivos, como trabalhar em um computador, fazer pausas regulares e alongar-se é essencial. Esses intervalos e exercícios de alongamento ajudam a aliviar a pressão nas articulações e músculos, evitando lesões e dores no corpo.

Suplementos para fortalecer as articulações

Manter uma dieta equilibrada é importante para a saúde das articulações, e certos nutrientes têm papel fundamental nesse processo. 

Quando existe alguma carência nutricional, considerar suplementos alimentares pode ser uma alternativa viável para garantir a saúde das articulações.

Aqui estão algumas vitaminas que contribuem para fortalecer as articulações:

  • Vitamina D: Essencial para a absorção de cálcio, ajuda a fortalecer ossos e articulações, além de reduzir a inflamação. A exposição moderada ao sol é uma das formas naturais de obtê-la, mas em casos de deficiência, suplementos podem ser recomendados.
  • Vitamina C: Contribui para a formação do colágeno, uma proteína importante para a saúde dos tecidos conjuntivos. Ajuda na reparação e regeneração das cartilagens, sendo encontrada em frutas cítricas, morangos, pimentões e vegetais verdes.
  • Vitamina E: Reconhecida por suas propriedades antioxidantes, ajuda a reduzir a inflamação e protege as células contra danos. Fontes naturais incluem óleos vegetais, nozes e sementes.
  • Vitamina K: Importante para a saúde óssea, auxilia na fixação de cálcio nos ossos, promovendo a saúde das articulações. Está presente em vegetais de folhas verdes, como espinafre, couve e brócolis.
  • Ômega-3: Embora não seja uma vitamina, os ácidos graxos ômega-3 possuem propriedades anti-inflamatórias, auxiliando na redução da dor e inflamação das articulações. Encontrado em peixes de água fria, sementes de linhaça e nozes.

Se você considera utilizar suplementos, a FDC oferece vitaminas projetadas para promover vitalidade e bem-estar em uma fase ativa da vida.

Esperamos que as orientações para cuidar da saúde das articulações tenham sido valiosas para você. Continue acompanhando nosso blog para obter informações sobre saúde e bem-estar!

2 comentários

Mário Sérgio Dainez

Mário Sérgio Dainez

Parabéns, informações e dicas para boa saúde. Obrigado!

Luiz Tavares

Luiz Tavares

Muito obrigado por esse excelente trabalho

Deixe um comentário